Tomada de posse da ADHP: directores de hotéis podem vir a ter uma “Ordem”

Na tomada de posse dos novos órgãos sociais da ADHP, esta terça-feira, Raúl Ribeiro Ferreira, que inicia o seu terceiro mandato como presidente, anunciou que vai ser proposta uma alteração estatutária que “abra os Estatutos à criação de uma “Ordem””. Na sua intervenção, o responsável enumerou desafios e falou das prioridades para os próximos três anos.

Durante o mandato 2019-2022 que agora se inicia, a Direcção da Associação dos Directores de Hotéis de Portugal deverá proceder à revisão dos seus Estatutos. “Vamos propor uma alteração dos Estatutos”, anunciou o presidente da Associação, adiantando que com esta alteração pretende-se “a adequação dos Estatutos às novas exigências e a abertura dos Estatutos à criação de uma Ordem, a médio prazo”, justificada pela especificidade da profissão de director de hotel que Raúl Ribeiro Ferreira deixou clara ao longo da sua intervenção.

“A forma de votos e o local onde se pode votar” bem como uma “alteração ao nível dos órgãos sociais” que “devem deixar de estar ligados uns aos outros e passarem a ser autónomos”, a “reorganização da Secção Júnior” e a “alteração das quotizações”, serão outros dos focos da revisão estatutária que será proposta.

Raúl Ribeiro Ferreira garantiu, a propósito, que “vamos trabalhar de forma empenhada com o Conselho dos Antigos Presidentes para que eles consigam continuar a ajudar-nos nestas decisões que vão ser difíceis e duras nos próximos três anos porque mexem com o funcionamento interno da Associação”.

Na sua intervenção, Raúl Ribeiro Ferreira enumerou aqueles que definiu como os grandes desafios do seu terceiro mandato, colocando à cabeça os Recursos Humanos, lamentando que a portaria da classificação dos empreendimentos turísticos que deverá incluir uma área sobre os recursos humanos demore a ver a luz do dia, apesar da promessa da secretária de Estado do Turismo.

As baixas remunerações, a falta de regulamentação das profissões do sector e as expectativas criadas aos jovens, que “têm uma expectativa errada do que é o mercado de trabalho”, foram outros desafios enumerados, com Raúl Ribeiro Ferreira a deixar claro que “há que captar mais jovens para o sector”, que “é preciso reconhecer as profissões” e “mostrar que há evolução nas carreiras”.

Num mandato de continuidade, a formação dos directores de hotéis vai manter-se como uma das prioridades, a que se junta a certificação e o aumento de notoriedade da profissão. Congresso anual, atribuição dos Prémios Excelência na Hotelaria, parcerias e convénios com instituições de ensino nacionais e estrangeiras e com associações homólogas, serão os principais eixos de trabalho da ADHP nos próximos três anos.

Conheça abaixo a composição dos corpos sociais da ADHP para o triénio 2019-2022:

Assembleia Geral

Presidente – José Portugal Catalão
1º Secretário – Henrique Pontes Lopes
2º Secretário – Sérgio Renato das Neves Simões

Direcção

Presidente – Raúl dos Santos Ribeiro Ferreira
Vice-Presidente – Fernando Miguel Farropas Garrido
Secretário – José João Jordano Serrano
Tesoureiro – Paulo Jorge Ferreira Cabaças Lopes
1º Vogal – Marco Aleixo Pinto Moura da Silva
2º Vogal – António Manuel da Silva e Melo
3º Vogal – Miguel Maria Pereira de Mello Breyner
4º Vogal – Nuno Miguel Fernandes Dias Leandro
5º Vogal – Patrícia dos Reis Correia
Secção Júnior – Leonardo de Sousa Henriques das Neves Simões

Conselho Fiscal

Presidente – Fernando Mateus Dias Carvalho
1º Secretário – Carlos Ferreira da Costa
2º Secretário – Maria da Luz Deslandes Pinto Basto