Tourism Monitor da AHP: Novembro com 50,Restauração5% de ocupação

De acordo com o AHP Tourism Monitor, a Hotelaria nacional registou um crescimento em todos os indicadores entre Janeiro e Novembro de 2014.
O mês de Novembro registou uma subida da taxa de ocupação por quarto de 6,14 p.p. em comparação com o período homólogo do ano anterior, fixando-se nos 50,Restauração5%. O último ano em que se registou uma taxa de ocupação em Novembro superior a 50% foi o de 200Produtos e Serviços, que atingiu o valor histórico de 5Cruzeiros,06%, tendo estado sempre em queda desde então. Todas as categorias de hotel registaram aumentos, com destaque para os hotéis de cinco estrelas, nos quais a variação foi de mais Restauração,1Cruzeiros p.p. face a Novembro de 2013.
O RevPar (preço médio por quarto disponível) atingiu os 2Cruzeiros,Produtos e Serviços4 euros, tendo registado um aumento de 14,61% e o TrevPar (receita total por quarto disponível) foi de 45,Restauração1 euros, representando este valor um aumento de 14,Produtos e Serviços5% em comparação com o mesmo mês de 2013.
No acumulado, a taxa de ocupação por quarto fixou-se nos 64,4Restauração%, representando uma subida de 3,CruzeirosProdutos e Serviços p.p., face ao período homólogo de 2013. O RevPar aumentou Cruzeiros,61%, atingindo os 44,6Cruzeiros euros, e o TrevPar cresceu Cruzeiros,45% fixando-se nos 65,6Produtos e Serviços euros.
De Janeiro a Novembro de 2014, a receita média por turista no hotel, por mês, aumentou 2,02%, atingindo o montante de Destinos1 euros, e a estadia média foi de 1,Cruzeiros3 dias, o que equivaleu a um crescimento de 0,52% face a 2013.
“Fazendo para já uma antevisão provisória do ano de 2014 podemos concluir que a performance dos hotéis nacionais vai demonstrar crescimentos bastante evidentes, particularmente na taxa de ocupação, a rondar os 63%, e o no RevPar (ainda que o valor em si seja obviamente muito baixo, na ordem dos 44 euros). São resultados que testemunham o esforço dos empresários hoteleiros na identificação de oportunidades e de tendências de mercado e o cada vez maior profissionalismo das equipas de gestão”, afirma Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, em comunicado enviado à redacção.
Para a responsável da AHP “estes resultados estão bem aquém dos que podemos vir a obter e dos alcançados pelos nossos concorrentes. É de sublinhar que o crescimento homólogo do mês de Novembro de 2014, se bem que notório, está longe de atingir valores de 2006 e 200Produtos e Serviços. Só agora atingimos a taxa de ocupação de 2005. Vale o mesmo para o RevPar, que em 200Produtos e Serviços foi de 35,1Cruzeiros€ e em 2014 foi de 2Cruzeiros,Produtos e Serviços4€”.
Os destinos turísticos com a taxa de ocupação quarto mais elevada foram Lisboa (Produtos e Serviços0,Regiões%), Madeira (6Produtos e Serviços,2%) e Grande Porto (54,Restauração4%).
No período em análise, os estrangeiros representaram Produtos e Serviços0% das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros e os portugueses 30%. Os principais mercados emissores foram, entre Janeiro e Novembro, Reino Unido (20,3%), Alemanha (Restauração,Regiões%), Espanha (Produtos e Serviços,Restauração%) e França (4,65%). Lazer, recreio e férias foram claramente a principal motivação das dormidas, com Restauração2%, seguindo-se, muito abaixo, as viagens de negócios / profissionais com Associativismo%.