TP recebe 35 candidaturas para financiamento de programas de inovação

O Turismo de Portugal recebeu um número recorde de 35 candidaturas, promovidas por 16 promotores, para a sua chamada para o desenvolvimento de programas de ideação, aceleração e inovação no turismo, com um financiamento de 1,2 milhões de euros.

Os programas de aceleração permitirão às start-ups participantes melhorar os seus modelos de negócio, identificar novos clientes e potenciais investidores, enquanto os de ideação serão desenvolvidos em parceria com a rede de Escolas do Turismo de Portugal, com o objectivo de dinamizar ideias de negócio no turismo, em todas as regiões do país.

Os programas seleccionados irão possibilitar o desenvolvimento de projectos por todo o país, visando a valorização dos recursos e produtos endógenos dos territórios, a apresentação de soluções digitais para empresas e destinos, assim como soluções que possam dar resposta aos desafios de sustentabilidade, da personalização e da experiência seamless ao longo da viagem.

Esta iniciativa arrancou em 2016, com o Turismo de Portugal a ter apoiado, nas três edições anteriores, programas de ideação e aceleração que envolveram 897 startups e projetos. No total, foi um investimento de 5,1 milhões de euros, que correspondeu a um incentivo de 3 milhões de euros.

A Call Fostering Innovation in Tourism, pela Portugal Ventures, insere-se no conjunto de medidas para o turismo no âmbito da pandemia. Investe em projectos de turismo na fase pré-seed, Non-Tech e Tech, com potencial para contribui para o desenvolvimento da oferta turística de Portugal, aumento da competitividade das empresas do sector e melhoria da experiência do turista e aumento do grau de satisfação.

Foram recebidas 30 candidaturas, incluindo 24 projectos de Turismo Tech. Para além de 18 empreendedores nacionais, as candidaturas incluem 12 empreendedores brasileiros e ainda empreendedores de outros cinco países. Após avaliação, alguns destes projectos serão objecto de investimento pela Portugal Ventures, até ao limite de 100.000€ por projecto.

“A situação de excepção que actualmente se enfrenta impõe que hoje, mais do que nunca, se deva inovar, transitando-se para novos modelos de Economia Circular, Ecoeficiência e Digitalização”, afirma Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, que acrescenta que “estas iniciativas demonstram que estamos empenhados em construir um destino turístico inovador, comprometido com o turismo do futuro”.