Turismo bate novo recorde com 27 milhões de hóspedes em 2019

Os dados preliminares do INE relativos ao ano de 2019 revelam que os cerca de 27 milhões de hóspedes recebidos em Portugal foram responsáveis por 69,9 milhões de dormidas (respectivamente +7,3% e +4,1% do que em 2018) originando proveitos acima dos 4,27 mil milhões de euros (+7,3% face ao ano anterior).

De Janeiro a Dezembro de 2019, os estabelecimentos de alojamento turístico em Portugal registaram um total de 27,0 milhões de hóspedes e 69,9 milhões de dormidas, a que corresponderam aumentos anuais de 7,3% e 4,1%, respectivamente, com estes indicadores a apresentarem variações positivas superiores as que foram registadas em 2018 (+5,3% e +3,2% em 2018 comparativamente a 2017).

Os proveitos totais aumentaram 7,3% para 4,276 mil milhões de euros, enquanto os proveitos de aposento subiram 7,1% para 3,2 mil milhões de euros. Em ambos os casos verificou-se uma desaceleração do crescimento, já que em 2018 os proveitos totais tinham aumentado 8,3% face a 2017 e os de aposento tinham subido 9,3%.

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) aumentou 2,0% para 49,4€ (+3,8% em 2018), enquanto o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 88,7€, aumentando 1,9% (+0,8% em 2018).

As dormidas dos residentes abrandaram em 2019, apresentando um crescimento homólogo de 6,2% para cerca de 21,1 milhões (em 2018 o aumento tinha sido de 6,9%), enquanto as dos não residentes, com um total de aproximadamente 48,8 milhões de dormidas, aceleraram para um crescimento de 3,3% (+1,8% em 2018), representando 69,9% do total das dormidas registadas em Portugal o ano passado (70,4% em 2018).

“Considerando a evolução das dormidas nos últimos anos, constata-se que entre 2014 e 2019 as dormidas de residentes aumentaram 41,0% e as do não residentes aumentaram 44,7%. Neste período, a representatividade dos não residentes nas dormidas totais progrediu de 69,3% em 2014 para 69,9% em 2019, atingindo o seu maior peso em 2017 (71,4%)”, lê-se na infirmação do INE.

Com 82,9% do total das dormidas efectuadas no alojamento turístico, a hotelaria apresentou um crescimento de 2,4%, uma evolução que ficou abaixo das registadas pelo alojamento local (+14,9%) e pelo turismo no espaço rural e de habitação (+6,7%). O INE avança ainda que as dormidas em hostels registaram um crescimento de 23,7%, representando 22,9% das dormidas em alojamento local e 3,3% do total de dormidas no sector do alojamento turístico em 2019.

À excepção da Madeira (-3,7%), todas as regiões turísticas apresentaram aumentos nas dormidas, com destaque para o Norte (+9,7%). Seguiram-se as regiões do Alentejo (+7,6%) e do Açores (+7,5%). O Algarve concentrou 30,0% das dormidas, seguindo-se a Área Metropolitana de Lisboa, que concentrou 26,4% do total de dormidas efectuadas em Portugal.

O INE sublinha ainda que as maiores variações relativas das dormidas de residentes registaram-se nos Açores (+12,3%) e no Alentejo (+10,8%), enquanto as de não residentes sobressaíram no Norte (+12,3%), AM Lisboa (+5,5%) e Açores (+4,0%).