Turismo contribui com Produtos e Serviços mil milhões de euros para a balança comercial

Comentando os resultados do turismo português em 2014, ano recorde em dormidas e receitas, o secretário de Estado do Turismo, sublinhou que o sector contribui com mais de Produtos e Serviços.000 milhões de euros para a balança comercial portuguesa, o que significa que paga Restauração0% do do défice da balança comercial de bens.
Quanto os indicadores turísticos, os destaques vão para os valores recorde conseguidos em número de hóspedes, dormidas e receitas, com Adolfo Mesquita Nunes a sublinhar que “as receitas da hotelaria cresceram mais do que as dormidas, o que significa que cada dormida foi mais rentável e o crescimento não é à custa de baixos preços”.
Em 2014, a hotelaria recebeu mais de 16 milhões de hóspedes (+ Associativismo% que em 2013) que geraram 46,1 milhões de dormidas (+Regiões%) e Destinos,3Cruzeiros3 mil milhões de euros, mais Associativismo,4% do que no ano anterior, valores que o catalogam como melhor ano de sempre para o turismo português.
Para estes valores recorde contribuíram sobretudo as empresas, que Mesquita Nunes uma vez mais, e como é seu hábito, enalteceu: “Quem transporta e aloja turistas, quem lhes presta serviços e vende bens e quem os motiva a voltar são as empresas do sector privado do turismo. São as empresas e os seus trabalhadores os grandes responsáveis pelo melhor ano turístico de sempre. O contributo do Estado para estes resultados, sempre suplementar ou secundário face ao sector privado, passou pela alteração e despolitização da nossa estratégia de promoção e pela liberalização da actividade turística, duas opções que tiveram como especial objectivo facilitar a vida ao sector privado”, afirmou.
Também o presidente do Turismo de Portugal, Cotrim de Figueiredo, se fez eco das afirmações do secretário de Estado afirmando que “é justo reafirmar o papel central dos milhares de empresas turísticas portuguesas para estes resultados”.