Turismo rural é “turismo do futuro”, diz SE da Valorização do Interior

João Paulo Catarino, secretário de Estado da Valorização do Interior, falava à agência Lusa à margem da sessão de abertura do VI Congresso Europeu de Turismo Rural (COETUR), que termina esta quinta-feira no concelho do Sabugal, no distrito da Guarda.

“[O turismo rural] tem muito futuro. Eu diria que é o turismo do futuro. Agora, claro que há um caminho que temos que continuar e temos que fazer e temos que fazê-lo de forma inteligente”, afirmou João Paulo Catarino, reconhecendo que o turismo rural tem que ser “construído em rede” e que e Portugal e Espanha “têm aqui uma óptima oportunidade de consolidar um trabalho que já tem vários anos, mas que ultimamente se tem vindo a intensificar”, em torno de sectores como o património histórico, as áreas classificadas e a gastronomia, entre outros.

Afirmando que o turismo rural pode também contribuir para a fixação de jovens em regiões do interior do país, recordando, a propósito, que “o Governo está muito apostado na qualificação do território, dos agentes que estão no território. Por isso é que alocámos mais de 70 milhões de euros exclusivamente para o Interior e para este fim específico”, referiu.

A mesma ideia seria defendida na sessão de abertura do Congresso pelo presidente da Câmara Municipal do Sabugal, António Robalo, que preside também às Aldeias Históricas de Portugal, ao afirmar que o turismo em espaço rural também pode “contrariar” o abandono e o esvaziamento humano dos territórios.