Turismo vai ter novo pacote de apoios ao investimento

Financiamento através de protocolos bancários, um fundo de investimento imobiliário, e agilização do Portugal 2020, foram alguns dos apoios avançados esta quinta-feira pela secretária de Estado do Turismo. Todo o pacote de apoio ao investimento deverá estar operacional até ao final do primeiro trimestre, garantiu.

Em resposta a uma das grandes preocupações elencadas por Luís Veiga, presidente da Associação da Hotelaria de Portugal, Ana Mendes Godinho, que confessou que a questão do financiamento às empresas turísticas foi uma das suas prioridades, avançou que “estamos a construir um pacote que está praticamente pronto, no sentido de disponibilizar um pacote às empresas turísticas”, o qual vai incidir em protocolos bancários, à imagem dos que já existiram mas agora “adaptados às necessidades actuais” das empresas turísticas e, em simultâneo, garantiu, “estamos também a acelerar o Portugal 2020”, com o Turismo de Portugal a ser “a entidade pagadora”.

Sem divulgar o montante a que ascenderão os apoios, a secretária de Estado avançou no entanto que o modelo de financiamento bancário, a lançar através dos protocolos bancários deverá “ser lançado em Fevereiro”, estando no momento a ser “afinado em função das necessidades concretas que as empresas hoje têm.

Ana Mendes Godinho disse ainda que o governo está também a construir um novo fundo de investimento imobiliário dedicado ao turismo que deverá estar no terreno “muito rapidamente”. Na base está a ideia de “reforçar instrumentos de engenharia financeira, quer de capital de risco quer fundos de investimento imobiliário, destinados especificamente ao turismo”, Isto porque, frisou, “sabemos que os projectos turísticos têm características próprias que precisam de ser acompanhados de forma específica” até “atendendo ao prazo de amortização que têm”.

“No fim do primeiro trimestre tudo isto estará operacional e disponível para as empresas”, garantiu a responsável, sublinhando que “o grande objectivo é haver instrumentos específicos dedicados ao turismo que respondam às necessidades que as empresas turísticas têm”.

*Leia mais na próxima edição da revista Turisver.