Turquia com plano de acção para atrair turistas

O Ministério da Cultura e Turismo da Turquia está a preparar um plano capaz de minimizar os efeitos da crise que a forte queda do mercado russo está a infligir na actividade turística do país.

De acordo com a imprensa internacional o plano preliminar de acção já foi discutido a nível governamental e deverá ser finalizado nas próximas semanas.

O plano prevê, por exemplo, que o apoio de 6.000 dólares aos gastos de combustível que deverá vigorar entre 1 de Março e 15 de Junho, seja agora estendido aos voos de mais 12 países, neles se incluindo, por exemplo, o Reino Unido e a Irlanda, a Polónia, Dinamarca, Bélgica, Noruega, Suécia e Finlândia. Estes e outros países verão apoiados, à semelhança da Rússia, os seus voos charter para diversos aeroportos turcos, nomeadamente para Antalya.

Este será, aliás o destino turco mais afectado pela quebra dos fluxos turísticos com origem na Rússia. Os efeitos estão já a fazer-se sentir: face a uma perde de 40% verificada este ano neste mercado, os preços da hotelaria em Antalya estão já em queda.

Recorde-se que os russos foram “desaconselhados” pelo seu presidente a viajar para a Turquia e que o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia anunciou a suspensão unilateral de emissão de vistos devido aos riscos de terrorismo na Turquia.

O plano do governo turco lista 54 sectores que deverão ser afectados caso a situação não evolua de forma positiva. Operadores turísticos, agências de viagens, hotéis e restaurantes, companhias aéreas e até a agricultura, estão entre eles.

Também de acordo com o plano, a Turquia vai reforçar a sua promoção turística no Médio Oriente e em Israel, onde tenciona promover-se nas vertentes da cultura e termalismo.