Valpaços aposta em cultura e turismo de natureza

A autarquia de Valpaços prevê aplicar cerca de 2,5 milhões de euros numa ecovia de 60 kms, numa ciclovia, passadiços e pontos de pesca nas praias fluviais, numa aposta clara no turismo de natureza.

Por outro lado, como forma de abrir portas à cultura, a Câmara Municipal acaba de estrear o Auditório, Arte e Cultura Luís Teixeira, investimento de 1,2 milhões de euros.

Apoiados a 85% de fundos comunitários, o Auditório, Arte e Cultura Luís Teixeira “é uma verdadeira casa da cultura, criamos as condições físicas para que Valpaços possa acolher qualquer espectáculo cultural, qualquer actividade cultural”, afirmou o presidente da Câmara local, Amílcar Almeida, citado pela Lusa.

O novo edifício, uma vez que o antigo foi demolido foi ampliado e o auditório possui lotação para 259 espectadores, dotado de equipamento cénico e mecânico de cena, possui um projector digital para a visualização de cinema, ainda um bar e uma sala multiusos para exposições.

Para além do investimento na cultura, o município pretende também aproveitar os recursos naturais do concelho, planeando criar um ecovia de 60 kms, uma ciclovia, passadiços e pontos de pesca nas praias fluviais para atrair cada vez mais visitantes ao concelho.

O presidente da Câmara de Valpaços afirmou à Lusa que o município está a fazer “uma forte aposta” no turismo ligado à natureza e “àquilo que o concelho tem de diferenciador”. O autarca disse que o município vai avançar com a construção de uma ecovia ao longo do rio Rabaçal, entre os limites com os concelhos de Chaves e Mirandela.

Serão ainda construídos passadiços, colocadas espreguiçadeiras e cerca de 70 pontos de pesca, para que Valpaços possa acolher provas internacionais.

Na praia fluvial de Rio Torto serão instalados “uma âncora de canoagem e espaços dedicados às crianças” e, na praia fluvial de Ribeira da Fraga serão construídos passadiços que vão subir até “à fraga furada”. O projecto para o concelho inclui ainda uma ciclovia, que terá como particularidade, “ter uma parte suspensa em cima de um regato”. Espera-se que estas intervenções estejam concluídas no Verão do próximo ano.