VI Fórum “Vê Portugal”: Em Portugal o cinema pode mesmo estar ao serviço do turismo

“Turismo Cinematográfico – O Cinema ao Serviço do Turismo” foi o tema de um dos painéis do VI Fórum de Turismo Interno “Vê Portugal” em Castelo Branco, mas o binómio Turismo-Cinema acompanhou os trabalhos e mereceu referência da secretária de Estado do Turismo.

O cinema pode estar ao serviço do turismo e é isso que pretende a região Centro, onde há dois anos foi criada a Centro Portugal Film Commission, mas também o Governo que, a nível nacional, criou a Portugal Film Commission. Condições para acolher grandes produções cinematográficas e audiovisuais internacionais, Portugal tem e de sobra, segundo sublinharam os vários intervenientes no painel.

Maria Mineiro, vice-presidente do ICA – Instituto de Cinema e Audiovisual, destacou o facto de o país estar a ser “descoberto pelo mundo”, o que, aliado à aposta do Governo em atrair produções estrangeiras, está a permitir criar condições para que Portugal se torne um destino para a realização de filmes e séries, O facto de o pais ser pequeno e com boas acessibilidades, ter grande diversidade geográfica, bom clima, actores e população a falarem fluentemente inglês e ter preços competitivos, foram algumas das valias que mencionou.

Considerando que “o cinema é um mecanismo importantíssimo da criação da marca-destino e da criação e alteração da imagem da marca-destino”, Francisco Dias, director do Festival ART&TUR, falou do poder do cinema e das séries que levam os espectadores a visitar os destinos em que foram filmados. Citou o filme “Música no Coração” que 50 anos depois de ter sido filmado ainda era uma das razões de peso que levava turistas a Salzburgo. Mais recentemente, fenómenos como A Guerra dos Tronos, Harry Potter ou O Senhor dos Anéis e muitos outros, vêm tendo o mesmo efeito.

Hoje serão já perto de 80 milhões os turistas que em todo o mundo escolhem um destino de férias por nele ter sido rodado o seu filme ou série de eleição, mas não é apenas com os fluxos turísticos que o cineturismo gera receitas. “Durante as filmagens ganha-se muito dinheiro”, afirmou, explicando que “um terço do que se gasta na produção de um filme é gasto no local das filmagens”.

Acrescentou ainda que “tanto o cinema como o turismo crescem consistentemente e acima do crescimento mundial da economia” e são dinâmicos, movem-se através do território. “A produção cinematográfica pode e deve sair dos grandes centros” turísticos, afirmou ainda, considerando ser correcta a criação de fundos de apoio para a captação deste segmento.

Para promover Portugal enquanto palco para produções cinematográficas a secretária de Estado do Turismo esteve recentemente a Cannes, onde foi organizado um evento de apresentação do país em que estiveram presentes “mais de 100 produtores e realizadores internacionais” e onde se “revelou muito interesse por Portugal”.

“Portugal está a afirmar-se como destino de filmagens internacionais, em Cannes tivemos dois filmes integralmente filmados em Portugal e uma co-produção apoiada pelo programa de incentivos que criámos” para a captação de produções cinematográficas. Ao abrigo deste programa, adiantou, “já temos 26 filmes que estão a ser filmados em Portugal e temos 14 pedidos em análise”.

Criada a semana passada, a Portugal Film Commission tem a missão de “promover internacionalmente Portugal como destino de filmagens” e “simplificar e ser uma “one stop shopp” de produtores que queiram fazer filmes em Portugal”, disse ainda Ana Mendes Godinho.