VI Fórum “Vê Portugal”: Pedro Machado volta a defender criação de um Ministério para o Turismo

No encerramento do VI Fórum de Turismo Interno “Vê Portugal” que decorreu em Castelo Branco a 21 e 22 de Maio, o presidente da Turismo do Centro, fez um balanço muito positivo desta edição e voltou a defender a ideia da criação de um Ministério para o Turismo.

Para Pedro Machado, o “Vê Portugal” constitui hoje “uma aposta ganha no panorama da discussão da indústria do turismo e em particular no olhar sobre aquilo que representa o mercado nacional”.

À margem do evento, em conversa com a imprensa, o presidente da ERT Centro de Portugal, que organiza este Fórum desde a primeira hora, realçou que “esta edição foi, seguramente, a mais forte, a que reuniu o maior número de participantes de sempre” com “620 inscrições reais”.

Do Fórum que “reforçou laços entre agentes económicos públicos e privados e reforçou laços entre territórios”, Pedro Machado disse haver várias conclusões a retirar, a começar pelo “reforço do olhar sobre o que representa hoje o mercado interno” e o seu “potencial de crescimento”, que considerou “determinante” para regiões como o Centro, o Norte ou os Açores.

Por discutir ficaram ainda muitos temas e outros ficaram em aberto, nomeadamente o que tem a ver com o promoção e a actualização que ele deve ter, aflorado num painel moderado pelo presidente do Turismo de Portugal e em que participaram os responsáveis de ERTs e ARPTs. Por isso, para Pedro Machado faz todo o sentido a realização do Vê Portugal 2020, até porque, na edição deste ano, “ficou um sentimento de compromisso de reforçarmos esta aposta naquilo que é a estratégia de aproximação ao mercado interno”, a qual assume várias vertentes, a começar pela estratégia de produto de que muito se falou neste Fórum.

Desta edição ressaltaram também preocupações, nomeadamente no que toca ao processo de descentralização que “não reforça o papel que tem vindo a ser construído pelas ERTs e nos deixa muitas reservas, seja no modelo de governação como na gestão de expectativas”.

Defendendo que, em matéria de promoção se deveria caminhar para uma solução que agregasse “num mesmo edifício, quer a promoção interna quer a promoção externa”, Pedro Machado defendeu também a “revisão da Lei 33, criada em 2013 e que hoje apresenta limitações”.

Ideia que já não é nova e que voltou a defender, tanto na sessão de encerramento como em conversa com os jornalistas, foi a da criação de um Ministério para o Turismo. “Um dos meus cavalos de batalha, que gostaria muito que viesse a acontecer, era que o Turismo assumisse a sua verdadeira importância dentro da esfera do Estado português e viesse a ter um Ministério no próximo quadro legislativo, já em Outubro”, afirmou.